SIGA TAMBÉM!!!

quinta-feira, 14 de agosto de 2008

MEDITAÇÕES SOBRE O LIVRO DE GÊNESIS - VI

A OCUPAÇÃO DO HOMEM NO JARDIM DO ÉDEN E A CRIAÇÃO DA MULHER (Gn 2.15-25)

A ocupação do homem no lugar que Deus lhe pôs (15-17): Nestes versículos citados observamos as funções que o homem recebe no lugar que Deus preparou para ele, o Jardim do Éden.
A primeira função que o homem recebe é a de lavrar a terra e guardar, cuidar, do jardim. Note bem que ao homem foi dado trabalho antes mesmo da entrada do pecado. Mostrando assim que uma idéia que tem sido divulgada, de que o trabalho é uma das causas do pecado, está errada. Na verdade o trabalho não é uma das causas do pecado, e sim uma função digna que Deus deu ao homem. O homem cuidava do cultivo das árvores e tinha o direito de se alimentar do fruto que as árvores produziam. Somente o trabalho faz o homem encontrar plena realização e contentamento. O trabalho de Adão era agradável enquanto a terra não tinha sido ainda amaldiçoada, como conseqüência do pecado de Adão (Gn 3.17-19). Insetos e plantas nocivas não estavam presentes ainda. Pragas e secas não eram problema. A generosidade da terra só necessitava ser direcionada e utilizada para beleza e nutrição. Após a queda de Adão o seu trabalho tornou-se menos agradável, mas não deixa de ser uma forma de o homem mostrar dignidade através desta função (Ec 5.12; Pv 21.25; Pv 13.11; Pv 14.23; 2Co 11.27; 1Ts 2.9; Ef 4.28)
Na maneira de Deus tratar com Adão, temos a base para a ética ou moral do trabalho (Êx 20.8-9; 2Ts 3.10-11). Que todo Cristão ensine suas crianças a necessidade e dignidade do trabalho. Vamos desempenhar também todo trabalho para a glória de Deus.
Além de receber a função de trabalhar, lavrando e cuidando, no jardim, Deus adverte Adão a não comer do fruto de uma espécie de árvore. Todas as outras ele poderia usar como alimento para nutrir o corpo. Porém a árvore do conhecimento do bem e do mal, não. A árvore do conhecimento do bem e do mal foi colocada no Éden para que o homem fosse testado. Muitos têm debatido a respeito de sua espécie. Isto é tentar ser sábio acima do que está escrito (1Co 4.6) e perde o objetivo principal. O homem já conhecia o bem, porque ele foi criado em santidade e também conhecia Deus (Ec 7.29). Ele somente poderia conhecer ou experimentar o mal pela desobediência a Deus. No versículo 17 nós temos a única restrição imposta ao homem e, portanto a única tentação ao pecado. Não levando em conta a natureza da árvore, comer de seu fruto era desobediência. Isto traria a morte e o conhecimento do mal. Há varias coisas que devemos considerar neste primeiro teste:
1. Através de Adão toda a raça humana foi testada. Adão era o cabeça da aliança e o representante de toda a raça humana (Rm 5.12-19). Cristo é chamado de o "ultimo Adão" porque Ele representou o Seu povo (1Co 15.45-49).
2. Deus fartamente supriu todas as necessidades e desejos de Adão (vers. 16). A única restrição a ele não o deixaria de maneira nenhuma com alguma necessidade (vers. 17). Não há desculpas para o pecado.
3. Adão não possuía uma natureza pecadora para o conduzir ao pecado (Gn 1.27).
4. Adão foi avisado das horríveis conseqüências do pecado. No dia em que ele comesse do fruto proibido ele morreria espiritualmente (Ef 2.1). Por causa do pecado de Adão o homem está agora morto espiritualmente, morto ou morrendo fisicamente, e sofrendo o risco da segunda morte (Ap 20.14).
Por que o homem envelhece e morre? Nós até podemos nunca entender o processo físico, mas através das Escrituras nós conhecemos a causa espiritual. Todo este conhecimento revela quão arbitrário e irracional foi o pecado de Adão. Isto não foi um pecadinho, mas uma traição contra a benevolência e a justa autoridade Deus. Antes da queda do homem, Deus alertou para a morte, enquanto o mundo somente conhecia a vida. Agora que a morte reina, Ele fala da vida em Jesus Cristo. Graças te damos, ó Deus, pelo ultimo Adão.
A criação da mulher (18-28): Esta curta e simples narrativa nos traz a origem da mulher, casamento e família. Muitos dos preceitos que tratam ao respeito do plano de Deus e ordem no casamento estão baseados nesta porção das Escrituras. Devemos considerar alguns fatos relevantes aqui:
A – Antes de o próprio homem sentir-se só, Deus conhece a necessidade do homem de ter uma companheira (18).
B – Quando Adão estava colocando nome nos animais vemos que esta necessidade foi evidenciada (19-20). E aqui devemos lembrar que o fato de Deus trazer os animais para ver como Adão os chamaria tem ligação com o que Deus desejava para o homem, dominar sobre a criação. Pois na cultura judaica era normal dar-se nomes as coisas dominadas.
C – A necessidade de Adão ter uma companheira foi suprida assim que ele dá nome a todos os animais, e se percebe que nenhuma das espécies criadas serviria de companheira. Colocando Adão em um profundo sono, Deus tomou uma de suas costelas e fez a mulher. Este método que Deus utilizou, levou um pregador a se referir à mulher como o "pó duplicadamente refinado e duplamente removido da terra". Sem dúvida a mulher foi feita do homem e não diretamente do pó, para enfatizar a unidade dos dois e a prioridade do homem.
A criação da mulher aconteceu enquanto o homem estava adormecido. Alguns têm sugerido que isto assim ocorreu para que todos soubessem que Adão não aconselhou a Deus. Certamente o motivo óbvio era para que Adão não sentisse dor nenhuma, em um mundo sem a presença do pecado. (21-25)
D – A instituição do casamento (22-24), o que observamos aqui é que de fato o casamento é uma instituição divina. O pecado que entrou na humanidade através de Adão faz com que os casamentos de hoje se acabem em divórcio. A intenção de Deus é que o casamento seja uma indissolúvel e abençoada união. Um homem e uma mulher unidos e sendo exclusivos dos demais. O pecado trouxe o divórcio, a poligamia, o concubinato, a poliandria, o adultério, a promiscuidade e a perversão. Mesmo o divórcio encontrado nas Escrituras é uma concessão por causa do pecado. Isto não faz parte do plano original de Deus (Mt 19.8-9).
E - A Ordem dos Sexos. Em 1Tm 2.11-13, Paulo observa a ordem da criação. O homem foi criado primeiro, e então foi feita a mulher para seu benefício. Podemos ver isso também em 1Co 11.7-9. O apóstolo Paulo ensina sobre a liderança do homem baseado neste fato. (Vamos lembrar que não devemos abusar desta posição. Paulo dá equilíbrio a este ensino, lembrando ao homem seu débito para com o sexo feminino 1Co 11.11-12. Também em Efésios a liderança oficial do homem Ef 5.23-24 é temperada com a introdução dos mútuos deveres de submissão Ef 5.21).