SIGA TAMBÉM!!!

quarta-feira, 6 de agosto de 2008

MEDITAÇÕES SOBRE O LIVRO DE GÊNESIS - V

DEUS TERMINOU A SUA OBRA, O PRIMEIRO SÁBADO, NOVAMENTE RELATA A CRIAÇÃO E O LUGAR DO HOMEM (2.1-14)

O Primeiro Sábado (1-3): No sexto dia Deus terminou Sua obra da Criação. O sétimo dia foi separado, santificado, como um dia de descanso. Este não era um descanso motivado pelo cansaço, mas um descanso de alegria e satisfação, até mesmo porque o nosso Deus não se cansa (Sl 121.3-4). Mas a palavra que aparece neste texto significa literalmente “cessar, terminar...”, ou seja, quando Deus terminou a sua obra não havia mais o que se fazer, pois tudo que Deus fez é perfeito (Gn 1.31). Quando o sábado foi incorporado na Lei de Israel (Êx 20:8) ele tinha o mesmo padrão dado aqui. O sétimo dia foi separado, santificado, para descanso. : Aqui a palavra santificar é usada pela primeira vez. Santificar significa "separar". Isto nos ajuda a entender o posterior ensino bíblico da santificação.
Os Cristãos referem-se freqüentemente ao Domingo como o "Sábado Cristão". Mas na minha opinião o que devemos entender é que não existe mandamento algum, nas Escrituras Neo-Testamentárias, para que se guarde algum dia em especifico, mas ao contrário, existem textos que negam esta idéia (Cl 2:14-16; Gl 4:9-10; Rm 14:5). Nós deveríamos, entretanto, reconhecer o princípio, o motivo, do sábado. O sábado foi instituído para o bem estar físico, espiritual e mental do homem (Mc 2:23-27, note vs. 27; Dt 5.15; Ez 20.10-12). O homem necessita de um dia para descansar e se alimentar espiritualmente. Os Cristãos seguem o padrão do Novo Testamento ao se reunirem no primeiro dia da semana. Este foi o dia em que Cristo ressuscitou (Jo 20:1; At 20:7; 1Co 16:2). Durante a primeira semana em que Deus criou o mundo, Ele separou um dia para contemplar e se deleitar da obra da criação, da qual o homem foi seu alvo principal.

Criação é relatada novamente e o lugar para o homem (4-14): Neste ponto vemos não um novo relato da criação, mas na verdade é o mesmo relato do capítulo 1 só que com detalhes que se ocultaram no primeiro capítulo. O capítulo 2 trata com mais detalhes principalmente a obra da principal criação de Deus, o ser humano. No versículo 4 lemos “estas são as origens dos céus e da terra...” demonstrando assim que seria mais uma vez relatada a obra de Deus.
É no versículo 4 que, também, aparece pela primeira vez o nome literal de Deus YHWH, é a palavra SENHOR que aparece com todas as letras maiúsculas. Todas as vezes que você ler nas Escrituras a palavra SENHOR é onde aparece o nome literal de Deus. Nome este cuja pronuncia é desconhecida. Pois é formada apenas por quatro consoantes. Originalmente este nome tinha a sua pronuncia, mas somente os sumos sacerdotes quem conheciam tal pronuncia. Este nome para os judeus é sagrado, tanto que eles nem tentam pronuncia-lo. Existem vários grupos religiosos que tentam dar a pronuncia correta para este nome. Os testemunhas de Jeová afirma que a pronuncia verdadeira do nome literal de Deus é Jeová. Tiram tal pronuncia através de colocarem as vogais do nome Adonai, do original. Que teriam o nome YeHoWaH, que latinizado teria a pronuncia Jeová. A maioria das traduções da Bíblia em português traz a palavra SENHOR quando aparece o nome literal de Deus, YHWH. Temos versões que trazem o nome Javé também.
Nos versículos 5 e 6 observamos um relato de como era a terra antes da criação dos seres viventes e do homem. A terra era irrigada, um vapor que subia da terra, diferente do tipo de irrigação que temos hoje (Ec 1.6-7).
No versículo 7 vemos o relato de como Deus criou o homem. Este texto nos mostra como ocorreu a principal obra de Deus, o ser humano. E esta narração vem nos esclarecer o significado do verbo Barah, que estudamos na nossa segunda aula, pois demonstra que o ser humano foi criado por uma ação divina e não houve nenhuma manifestação espontânea. Demonstra também que este ser foi criado de uma forma totalmente diferente dos demais seres, pois Deus sopra nas suas narinas o fôlego de vida (Jó 33.4).
O termo formou no texto em questão é uma palavra que era usada freqüentemente em relação com a obra de um oleiro (Is 45.9; Jr 18.6).
Pó da terra neste texto mostra-nos algo extremamente importante. Pois demonstra que o homem foi formado basicamente da substancia que existe no solo. Coisa que a ciência demonstrou e comprovou como verdade. Pois com o avanço da ciência os cientistas podem saber do que é feita a coisa, e nos homem eles descobriram que não existe muita diferença entre o corpo humano e a terra, solo. (1Co 15.47; Gn 3.19).
E soprou em seus narizes o fôlego da vida, esta expressão demonstra que a vida que esta no ser humano provem totalmente de Deus. O corpo do homem só tem a vida por que Deus soprou a vida nele (Jó 33.4).
Nos versículos 8 a 14 vemos a residência original do homem não foi em uma mansão, mas em um jardim. Casas e também roupas, vieram após a entrada pecado. Deus providenciou todas as coisas que Adão necessitaria antes de cria-lo. Havia alimento para sua nutrição e prazer e beleza para os olhos. Havia uma ocupação para passar o tempo e trazer satisfação (vers. 15). Havia até companheirismo (vers 18). Em tudo isso nós vemos o amor e bondade de Deus. Duas árvores são especialmente mencionadas (vers. 9). Uma destas árvores, era a árvore da vida, a qual é o mais difícil de entendermos. Ela é mencionada várias vezes nas Escrituras (Gn 3.24, Ez 47.12, Ap 2.7 e 22.2). De alguma maneira ela estava relacionada á saúde física.
As Escrituras também mencionam um rio que corria através do Éden. Isto também ajudava a regar o jardim que estava do lado oriental do Éden (vers. 8). Nos versículos 10 a 14 nós temos algumas informações a respeito de seus quatro afluentes e as áreas pela quais eles percorriam. Embora hoje não seja possível determinar a localização do Éden, através destas informações, nos parece que ele se localizava na região do "Fértil Crescente". Esta área é geralmente reconhecida como o berço da civilização. E por citar nomes de dois rios que existem até hoje, na região que era conhecida como mesopotâmia, temos uma vaga idéia de onde se encontrava o Jardim que ficava na região denominada Éden. Essa região hoje é a região que fica no oriente médio no sul do Iraque. Éden significa agradável, prazer ou deleite.
Na próxima aula veremos a ocupação do homem no lugar em que Deus o colocou e também o relato da criação da mulher.